quinta-feira, 27 de novembro de 2014

OFICINA G3 FAZ MAIS DE DUAS HORAS DE SHOW EM QUEIMADOS

Praça dos Eucaliptos lotada na apresentação da Banda Paulistana de Rock Metal Gospel 
QUEIMADOS - Quem foi para a Praça dos Eucaliptos neste quarta,26, primeiro dia de shows da festa de emancipação de Queimados achando que assistiria um show ameno, se enganou plenamente. A banda Oficina G3 domina um Rock pesado ou metal progressivo. O ritmo dos paulistanos da terra da garoa animou até mesmo os cariocas que não gostam de chuva, mas pularam, cantaram e gritaram por mais de duas horas debaixo de uma chuvinha fina que caía o tempo inteiro.
Prefeito Max Lemos sua esposa Ana Paula, Secretário de Cultura Marcelo Lessa e a Banda Oficina G3
Para os fãs que seguem a banda a luta continua depois do show. Após enfrentar uma longa fila, Jean Carlos, 19 anos, conseguiu chegar perto dos seus ídolos e fazer várias fotos. “Eles são o que há de melhor no Rock. Não é a toa que já ganharam o maior prêmio da música, o Grammy Latino”, destacou. Já para Suzana Souza, 16 anos, bairro Ponte Preta, o amor pela banda trouxe uma nova forma de vida e de reafirmação de sua fé. “Eles me ajudaram a reforçar a minha fé. É um grupo do bem, por isto, faço questão de fazer parte do fã clube e divulgar o seu trabalho nas redes sociais”, falou Suzana.

Prefeito Max Lemos e sua esposa Ana Paula Lemos
Animado com o sucesso de público, o prefeito Max Lemos comemorou mais um ano de evento na sua gestão. “Sempre nos organizamos para que nossas festas ofereçam conforto e segurança ao público, mesmo com as intempéries do tempo. Costumo brinca que tenho um bom relacionamento com Deus para que as chuvas sempre amenizem para não castigar a população trabalhadora que precisa de um pouco de lazer”, observou.

Para garantir mais conforto e segurança, a Secretaria de Cultura está trabalhando com o apoio de vários setores, como a Defesa Civil, Saúde, Polícia Militar e Seguranças contratados. “A cada ano nossas festas ficam mais conhecidas e maiores. Principalmente quando fazemos a Expo Queimados - exposição industrial há cada dois anos, tanto que este evento nem pode mais ser realizado na Praça e acontece ao lado da Vila Olímpica, devido ao tamanho”, disse o secretário, Marcelo Lessa.


Sexta de samba com Maria Rita

A festa continua até domingo na Praça dos Eucaliptos com Shows gratuitos e nesta sexta, 28, será a vez do samba de raiz invadir o espaço através da malemolência de Maria Rita que irá interpretar clássicos de Noca da Portela, Arlindo Cruz, Xande de Pilares e Joyce e uma versão do clássico “Saco Cheio” de Almir Guineto, sem deixar de relembrar sucessos da carreira de sua mãe, Elis Regina. O projeto é um reencontro da artista com o samba.  Sábado, 29, é dia de arrasta-pé com o forró do grupo Bicho de Pé e domingo, 30, NXZERO para fechar com chave de ouro.


Artistas locais se destacam no evento

Os artistas de Queimados também ganharam um presente com a oportunidade de abrir ou fechar os shows de grande porte. Com toda a estrutura de som e luz é claro que o show fica sempre mais bonito, contou o pastor Eduardo Dutra da igreja Bete Javeh que estava acompanhando a banda do seu filho Eduardo Junior de 19 anos. “Eles nunca cantaram com esta estrutura e está lindo de ver e ouvir. É muito legal ter esta oportunidade”, contou o pai orgulhoso. Neste primeiro dia também cantaram: a pastora Fernanda Lima, banda Agnus 5, Silvana Bastos e banda Cristo Salva. A abertura do evento foi feita pelo DJ André Noite On.


Programação


QUINTA-FEIRA – 27/11
19:00 DJ ANDRÉ NOITE ON
20:00 BANDA FRATER
21:30 DUNGA

SEXTA-FEIRA – 28/11
20:00 DJ ANDRÉ NOITE ON
22h GRUPO SAMBA CLUBE
00:00 MARIA RITA
02:30 GRUPO EXATAMENTE

SÁBADO – 29/11
20:00 DJ ANDRÉ NOITE ON
22:00 BANDA CONEXÃO BAHIA
00:00 BICHO DE PÉ
01:30 OS FABULOSOS
02:00 BANDA VETRIX

DOMINGO – 30/11
ANIVERSÁRIO MOTOCLUBES:
OS BRAÇOS E OS REIS DO ASFALTO
10:00 Som Mecânico
12:30 BANDA AUDIVE
14:00 BANDA SOUND
16:00 BANDA               
CAIXA PRETA
18:00 BANDA ROCK NA RUA
20:30 DJ ANDRÉ NOITE ON
21:00 BANDA PRA DANÇAR

22:30 NX0


FOTOS: Leandro Machado \ Wall Araujo 
TEXTO: PMQ

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

MESQUITA PARTICIPA DE ENCONTRO NACIONAL DE AGENTES DE DESENVOLVIMENTO

 Evento acontece na cidade de Recife, em Pernambuco, e termina  quinta-feira, dia 20



3º Encontro Nacional de Agentes
A cidade de Mesquita participa do 3º Encontro Nacional de Agentes de Desenvolvimento (Enad), que acontece em Recife, no estado de Pernambuco, até  quinta-feira, dia 20 de novembro. O evento, promovido e totalmente custeado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), tem o objetivo principal de propiciar o intercâmbio de metodologias de trabalho entre gestores de todo o país.

O secretário de Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Ordem Pública de Mesquita, Rômulo Massacesi, destacou a importância da iniciativa. “A intenção é agregar conhecimento para melhorar a saúde econômica das micro e pequenas empresas do município e promover o incentivo à saída da informalidade”, comentou, frisando que o projeto "Com Licença, eu sou Legal!", desenvolvido pela prefeitura desde agosto, foi elaborado a partir dos ensinamentos adquiridos no 2º Enad, realizado ano passado, no Paraná.

O 3º Encontro Nacional de Agentes de Desenvolvimento conta com a participação do ministro da secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, do diretor presidente do Sebrae, Luiz Barretto, e do presidente da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski, entre outros especialistas, que ministram palestras sobre ações de desenvolvimento e gestão.



TEXTO E FOTO: Alan Ferreira



CHEF MARCIA GOMES E OS FINGER FOODS 

Saiba mais sobre os fingers foods

Marcia gomes
Márcia Gomes,  é Chef de cozinha formada pelo Senac e, também Administradora de empresa. Atua como chef da Comfort Food e agora como catering de eventos, responsável pela alimentação em vários eventos de Artistas, Empresas corporativas, entre outros.

Para familiarizarmos com os novos conceitos da gastronomia, temos alguns termos, como:

·   finger food - Como o próprio nome já diz, são comidas que pode-se comer com os dedos,  com aos mãos, sem a necessidade de talheres.
·      mini porções - são porções que são servidas em cumbucas, mini "bowls" (tigelas)  e que o convidado pode comer em pé, com um talher só.
As vantagens desse tipo de serviço,  além de manter o ritmo da festa sem ter aquele momento que todos sentam para o jantar, também proporciona mais opções de cardápio.

Podem ser servidos em cumbucas, taças, mini bowls, ramequins louças de tamanho pequeno, geralmente com um talher somente.
 
Os pratos desse estilo que fazem mais sucesso são as massas, com molhos diversos, escondidinhos, entre outros.


mini porções

As novidades em termos de cardápio e até mesmo louças, sempre tem muitas inovações, pois este ramo cresce a cada dia.  As opções estão cada vez maiores e mais bonitas, usando um trocadilho: - de se comer com os olhos! Acredita-se que ultimamente as pessoas estão apostando em pratos que já existem há muito tempo, com uma apresentação mais moderna, um releitura; com louças diferentes, em tamanhos reduzidos e até personalizados.


Os eventos que mais optam por este tipo de serviço são as formaturas, os casamentos, os aniversários, os coquetéis.



A quantidade de mini porções recomendada, por exemplo,  para ser servido em um casamento, gira em torno de três opções, considerando os finger foods que antecedem o
jantar.


Contatos: maroligomes@gmail.com  tels 021 35635352 - 964246336

Texto e foto: Marcia Gomes 

APÓS 20 ANOS, GALO DA BAIXADA VOLTA AOS CAMPOS

H. Estrela brilha nos campos mais uma vez

H. Estrela volta sem nenhuma derrota
De um encontro entre amigos ao Galo da Baixada, assim começou a história do H. Estrela Futebol Clube. Um time de futebol criado nos anos 80 e ressuscitado após 20 anos pelos mesmos amigos de antes.

Confira um pouco mais desta história na reportagem de Luciana Felipe.



Luciana Felipe:  Erico Cardoso, atualmente você é o Presidente do H. Estrela. Como surgiu o time e qual o significado do H?

Erico Cardoso, presidente do H. Estrela
 Erico Cardoso:  Quero agradecer  o incentivo que o Jornal Folha Kariocas está dando para que nosso time seja divulgado. Bom, o Estrela foi criado em 1987, pelo meu pai, Sr Hugo, daí o H do Estrela, no nosso bairro mesmo, São Cristóvão no município de Queimados. Em uma conversa entre amigos surgiu o seguinte questionamento: “Torcemos para times de outros bairros, por que não criar o nosso próprio time”?
A maioria jogava futebol, entre adultos e crianças, e não havia muito lazer no bairro, então meu pai, juntamente com alguns amigos, resolveu criar o H. Estrela Futebol Clube.

Na verdade o objetivo era unir mais a comunidade, mostrar o conceito  e noção de grupo a comunidade. Não se chega a nenhum lugar sozinho e sempre que estamos juntos estaremos muito mais fortes!

Luciana Felipe: O objetivo foi alcançado?

Erico Cardoso: No início, como todo projeto inicial, foi difícil. Mas acho que conseguimos.
Na época meu pai comprou 10 camisas brancas e ele mesmo pintou o número nelas. Faltava então o short, ele reuniu o pessoal e como a maioria tinha um azul, ficou decidido que o uniforme seria blusa branca e short azul. Tinha um detalhe verde no uniforme que não combinava nem um pouco – risos- mas este uniforme era nossa alegria e jogávamos com orgulho e alegria.

Luciana Felipe: O time já jogou fora de seu município?

Erico Cardoso: Sim. Jogamos certa vez em um lugar chamado Maria da Graça, fomos disputar um torneio, que na época era na rua. Estávamos acostumados a jogar no gramado e lá era no asfalto e mesmo assim alcançamos o 3º lugar. Em Morro agudo em, 1988, disputamos um torneio e fomos os campeões, em Queimados também jogamos com times de outros bairros como São Miguel, Santa Catarina, São Roque e sempre tivemos a sorte de sair ganhando.

Luciana Felipe: O time então ficou bastante conhecido?

Erico Cardoso: Sim. A ponto de se criar uma certa “rivalidade” com os outros times.
O tempo foi passando, os integrantes do time que na época tinham entre 13 e 14 anos, foram amadurecendo, tendo outras prioridades e por estes motivos o time deu uma parada.

Luciana Felipe: Como surgiu a idéia de trazer o time de volta?

Erico Cardoso: O mais engraçado é que recomeçou da mesma forma que havia começado, um bate papo entre amigos. Em fevereiro deste ano estávamos reunidos em um bate papo informal, tomando aquela geladinha, quando de repente surge o mesmo questionamento: “Gostamos tanto de futebol, torcemos uns para o Vasco, outros para o Flamengo, Fluminense, alguns times da cidade estão participando de campeonatos. E o time do nosso bairro?”
Deste dia em diante resolvemos resgatar nosso time. Estávamos eu, o Juninho, o Paulinho e o Denilson e por ser filho do criador do time me colocaram como presidente. Corremos em busca de uniforme, mudamos o escudo, as cores e “RESSUSCITAMOS”  o time. Depois de mais de 20 anos o H. Estrela está de volta. Vendo nosso empenho, alguns  moradores nos ajudaram e assim foi feita nossa bandeira.

Luciana Felipe: E o mascote, como surgiu?

Erico Cardoso: Procuramos fazer tudo de uma forma mais profissional possível como os grandes times. Elaboramos uma enquete na internet, alguns nomes e personagens foram escolhidos. Destes, cinco se destacaram mais: o Popye, o Tubarão, O Pit Bull, O Galo e a Calopsita. Jogamos os cinco novamente na internet e o GALO ganhou disparadamente.
Hoje somos conhecido como o TIME DO GALO.

Luciana Felipe: O Galo tem pretensões em treinar novos jogadores?

Erico Cardoso:  Devido a repercursão do time e da organização que procuramos manter sempre, sempre há pessoas querendo estar no nosso time. O Estrela é um grupo de amigos que se conhecem há muito tempo, pessoas do bairro que passaram a infância conosco. Para estar no grupo tem que ser indicado por alguém e aprovado pela maioria. Não queremos um integrante só pó que joga bem, queremos muito mais que isso.

Luciana Felipe:  Que mensagem o Estrela deixa para a comunidade e para a cidade de Queimados?

Erico Cardoso:  Hoje temos um time e o bairro já pode dizer torcemos por um time.  Pelo pouco tempo de recomeço  estamos bem, há cinco jogos que não perdemos. Além de um time para acompanhar temos assunto para discutir durante a semana.
Para a cidade de Queimados a mensagem que deixamos, apesar de não ter nenhum apoio e incentivo de ninguém, com exceção dos nossos amigos do bairro, é que temos que acreditar em nossos sonhos. Isso tudo foi um sonho de 20 anos atrás, interrompido por um momento e retornando com mais força ainda. Que envelheçamos aqui e nossos filhos e netos dêem continuidade a este grande projeto.
Um abraço a todos!

Texto: Iago Lomeu
Fotos:  Ferreira Neto
Assessoria de Imprensa: assessoria.kariocasrj@gmail.com