quinta-feira, 11 de julho de 2013


Dilma sanciona Ato Médico com dez vetos

Questão mais polêmica sobre diagnósticos foi vetada


A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira, 11, com dez vetos, a lei que disciplina o exercício da medicina no país. O texto foi publicado no Diário Oficial da União (DOU). A questão mais polêmica, referente à responsabilidade pela formulação do diagnóstico e pela prescrição terapêutica, foi vetada pela presidente para não prejudicar inúmeros programas do SUS (Sistema Único de Saúde).

Também conhecida como Lei do Ato Médico, a norma determina que são privativas do médico atividades como indicação e execução de intervenção cirúrgica, sedação profunda e procedimentos invasivos (sejam terapêuticos ou estéticos), como biópsias, endoscopias e acessos vasculares profundos.

No entanto, os vetos permitem que a aplicação de injeção, além de sucção, punção (introdução de agulha) e drenagem, sejam feitos por outros profissionais, bem como a "invasão da epiderme e derme com o uso de produtos químicos ou abrasivos" (como o peeling facial, por exemplo).

A justificativa, divulgada no Blog do Planalto, é que o projeto de lei transformaria a prática da acupuntura em privativa dos médicos, o que iria contra a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Único de Saúde.

Com os vetos presidenciais, outros profissionais de saúde poderão formular diagnóstico e respectiva prescrição terapêutica, além de indicar o uso de órteses e próteses e prescrever órteses e próteses oftalmológicas.

 

Geral

Desembolsos do BNDES têm aumento de 67% nos cinco primeiros meses do ano

Os recursos desembolsados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos cinco primeiros meses deste ano tiveram aumento de 67% em comparação ao mesmo período do ano passado, somando R$ 73 bilhões. Os dados foram divulgados hoje (11) pelo banco.
O aumento foi generalizado em todos os setores apoiados pela instituição, evidenciando a continuidade do ritmo de investimentos na economia, avaliou o BNDES, por meio da assessoria de imprensa. Em maio, as liberações alcançaram R$ 18,6 bilhões, com incremento de 93% em relação a igual mês de 2012.
No acumulado de janeiro a maio deste ano, a maior expansão relativa de desembolsos foi registrada na indústria (123%), que recebeu recursos no valor de R$ 25,8 bilhões. Para as micro, pequenas e médias empresas, foram destinados R$ 27,4 bilhões até maio. O resultado ficou 60% acima do verificado nos primeiros cinco meses de 2012.
Para a infraestrutura, foram desembolsados R$ 20,7 bilhões, ema expansão de 19% sobre o mesmo período do ano passado, com destaque para a construção e o transporte rodoviário e outros transportes, cujo acréscimo atingiu 155%, incluindo operações de transportes de passageiros.
Até maio, as liberações para o setor de comércio e serviços cresceram 66%, totalizando R$ 18,4 bilhões.

 

Geral


Copa do Brasil: Favorito, Internacional leva susto, mas vira sobre o América-MG pela terceira fase da competição


Nesta quarta-feira (10), o Internacional venceu o América Mineiro por 3 a 1, no Estádio Centenário, em Caxias do Sul, pela partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Como, ao contrário das fases anteriores, as equipes terão necessariamente de fazer o jogo da volta, o Colorado aproveitou o fator torcida para sair com vantagem no confronto de 180 minutos.

Mesmo atuando fora de casa, o Coelho surpreendeu no primeiro tempo e abriu o placar. Aos 39 minutos, Rodriguinho recebeu de Nikão, limpou o zagueiro e, de bico, tocou no canto de Muriel, fazendo América Mineiro 1 a 0.

A reação colorada na segunda etapa veio aos 20 minutos de partida. Após cobrança de escanteio, Índio cabeceou e o zagueiro Jaílton tocou a mão na bola. O árbitro marcou pênalti. Na cobrança, D’Alessandro encheu o pé para empatar, 1 a 1. Três minutos depois, D’Alessandro recebeu na ponta direita e cruzou, Diego Forlán pegou de primeira, a bola desviou no lateral Leandro Silva, enganando o goleiro Matheus, Internacional 2 a 1. Aos 43, o argentino, destaque da partida, recebeu de Gabriel na direita e cruzou na cabeça de Maurides, que fechou o placar, Inter 3 a 1.

Antes da Copa do Brasil, o Internacional volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No próximo sábado (13), o Colorado enfrenta o Fluminense às 18h30, no Estádio Moacyrzão, em Macaé-RJ, pela sétima rodada da competição. O Coelho, por sua vez, tem pela frente o Bragantino no mesmo dia, às 16h20, na Arena Independência, em Belo Horizonte, pela Série B. Já na próxima quarta-feira (17 de julho), às 21h50, Inter e América Mineiro voltam a se enfrentar, em Belo Horizonte.

FICHA TÉCNICA

Internacional 3 x 1 América-MG

Internacional: Muriel; Gabriel, Índio, Juan e Kleber; Jackson (Jorge Henrique), Josimar, Dátolo e D’Alessandro; Diego Forlán (Maurides) e Rafael Moura (Mike). Técnico: Dunga.

América-MG: Matheus; Leandro Silva, Victor Hugo, Jaílton e Danilo; Andrei, Doriva (Leandro), Claudinei e Rodriguinho; Willians (Caio) e Nikão (Tiago Alves). Técnico: Paulo Comelli.

Data: 10/07/2013

Horário: 21h50

Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS)

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)

Gols: Rodriguinho (AME) aos 39 minutos do 1º tempo. D’Alessandro (INT) aos 20, Diego Forlán (INT) aos 23 minutos e Maurides (INT) aos 43 minutos do 2º tempo.

Geral

Curso prepara policiais para instalação de Núcleo de Homicídios

No dia 1º de agosto, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), em Belford Roxo, ganhará um Núcleo Integrado de Homicídios para atender exclusivamente às ocorrências da área do 15º BPM. Para preparar os agentes de Duque de Caxias e arredores para as atividades, foi iniciado, nesta quarta-feira (10/7), um treinamento para policiais civis e militares em preservação de local de crimes.
A capacitação termina nesta quinta-feira (11/7), e conta com a participação de 50 policiais militares e 20, civis. O curso é ministrado pelo delegado Filipi Poeys e pelo perito Frederico Eller. O objetivo é orientar os PMs, normalmente os primeiros a chegar nos locais dos crimes, sobre o que é preciso fazer para que as evidências e características sejam preservadas para a equipe da Polícia Civil.
 
– Estamos fazendo uma interlocução entre as polícias porque precisamos que o policial militar preserve esse local de crime. Trouxemos um delegado e um perito e criamos a situação de um homicídio para que o policial militar entenda o que ele precisa fazer – esclareceu a chefe de Polícia Civil, delegada Marta Rocha.

Os policiais civis que trabalharão no núcleo integrado são da DH Capital e atuarão através do RAS (Regime Adicional de Serviço). Eles levarão sua experiência e será usado um sistema parecido com o da especializada da capital. Os agentes atuarão no local do crime, acompanhados de peritos. Essa será uma estrutura temporária até que a DHBF nos moldes da DH Capital seja inaugurada.

Delegado titular da DHBF, Pedro Medina destaca que a atuação do núcleo será fundamental para agilizar o atendimento e A investigação de casos de homicídios nas áreas das delegacias de Caxias, Campos Elísios, Imbariê e Xerém.
 
– Quando há um homicídio, a DP local é chamada, mas às vezes quando chega o local já foi alterado. As equipes do núcleo vão atuar em parceria com os peritos na coleta de evidências, observando a posição do corpo e percebendo a característica daquele crime, por exemplo – explicou o delegado.
 
De acordo com Medina, a equipe do núcleo fará um relatório e o documento. Todo o material recolhido será encaminhado para a delegacia local para que as investigações sejam feitas. O núcleo contará com seis policiais de plantão por dia.
 
Para o major Alexandre Mescolin, de 40 anos, a iniciativa do curso é fundamental para que a interação entre as duas polícias seja bem-sucedida.
 
– É de extrema importância para desempenharmos nossas funções. Essa parceria é muito boa, com as duas instituições sentadas juntas em sala de aula, discutindo e trocando ideias – afirmou o major.

 

Geral

Greve dos Correios impede saída de caminhões do Centro de Operações Postais

Funcionários dos Correios no estado do Rio de Janeiro estão em greve desde a 0 hora de hoje. A paralisação atinge o Centro de Operações Postais da estatal, em Benfica, na Zona Norte do Rio, onde representantes do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios impedem a entrada e saída de caminhões. O depósito é responsável pelo despacho de mais de 80% das correspondências de todo o estado.
A mobilização dos sindicalistas na frente ao Centro de Operações Postais começou no início da manhã de hoje e a Polícia Militar reforçou o patrulhamento no local. Até o momento nenhum incidente foi registrado e, apesar da fila de caminhões que se formou na Rua Leopoldo Bulhões, onde funciona a unidade, o trânsito flui normalmente.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Ronaldo Martins, os funcionários reivindicam a redução da jornada de trabalho, mais recursos para a educação e saúde, fim das terceirizações e o fim do fator previdenciário, com valorização das aposentadorias.
- Os funcionários dos Correios estão abandonados. É inadmissível que um serviço tão importante para a população seja deixado de lado pelos nossos governantes e, é claro, também estamos na luta com todo o povo brasileiro por melhorias em todos os serviços públicos.
Ainda segundo Ronaldo Martins, agências da Zona Oeste e dos municípios de Niterói e São Gonçalo, na região metropolitana, Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, e da Baixada Fluminense, aderiram à greve.
A paralisação é parte do Dia Nacional de Luta, convocado pelas centrais sindicais com greves e manifestações por todo o país neste 11 de julho. Uma passeata está programada para as 15h no centro da cidade, com a participação dos funcionários dos Correios.
Procurada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa dos Correios informou que não iria se manifestar sobre a greve dos funcionários.
 
Manhã no Centro tem pequenas manifestações de diversas categorias
A manhã de hoje, no centro do Rio, foi marcada por pequenas manifestações divididas por categorias que se mobilizam para aderir ao protesto convocado para as 15h, na Candelária. O Sindicato dos Petroleiros (SindiPetro) se concentrou antes das 9h da manhã em frente ao edifício-sede da Petrobras, na Avenida Chile, e caminhou para a Avenida Graça Aranha, também no centro, onde há outro prédio da estatal.
Às 12h, os trabalhadores da Petrobras devem voltar a se reunir na Avenida Chile, de onde partirão para o protesto na Candelária. Entre os itens da pauta unificada das centrais sindicais, os petroleiros deram maior ênfase aos pedidos de cancelamento dos leilões de petróleo.
Os médicos também fizeram uma manifestação no centro, convocada pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), pedindo a valorização da categoria e a aplicação de um valor correspondente a 10% do PIB na saúde pública. Os profissionais também exigem que os planos de saúde paguem o valor mínimo de R$ 70 por consulta, com reajustes anuais.
O maior protesto começou por volta das 10h, convocado pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), e reúne mais de 120 pessoas na Cinelândia. O Sepe convocou paralisação de um dia em todas as escolas públicas do estado e pede piso salarial para os professores de cinco salários mínimos e de 3,5 salários para o funcionário administrativo, além de eleição para diretor de escola, autonomia pedagógica das escolas, implementação de planos de carreira unificados, entre outras.
Os profissionais da educação e da saúde devem se reunir por volta das 13h30 no Paço Imperial, de onde também partirão para a o protesto na Candelária, que poderá seguir para a Cinelândia, fechando a Avenida Rio Branco, às 17h. Algumas agências bancárias na via e na Avenida Presidente Vargas amanheceram fechadas por manifestantes e lojistas protegeram estabelecimentos com tapumes, com medo de depredações durante o protesto.
A pauta das centrais sindicais inclui oito pontos: o fim do fator previdenciário; a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem a diminuição dos salários; reajuste para os aposentados; mais investimentos em educação, saúde e segurança; transporte público de qualidade; reforma agrária; fim dos leilões de petróleo e a rejeição do Projeto de Lei 4.330/04, que permite a terceirização das atividades-fim.
No fim da manhã, a Secretaria Municipal de Educação se posicionou, por meio de nota, sobre as reivindicações dos profissionais da área. “A Secretaria Municipal de Educação esclarece que das 1.429 unidades escolares, apenas 1,3% não tiveram atendimento no turno da manhã. A secretaria informa, ainda, que apenas 8,1% dos professores e 2,1% dos profissionais de apoio não trabalharam no turno da manhã desta quinta-feira (dia 11)”, diz a nota.
 
SP: cerca de mil comerciários protestam na 25 de março
Cerca de mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar, participaram de uma manifestação organizada pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo, na Rua 25 de março, principal pólo de comércio popular da capital paulista. Os manifestantes seguem em passeata, neste momento, em direção à Avenida Paulista, onde está programado um ato conjunto das centrais sindicais pelo Dia Nacional de Luta.
De acordo com o presidente do sindicato, Ricardo Patah, o dia será marcado por protestos e reflexão.
- O protesto na Rua 25 de Março representa muito, porque é o lugar onde mais se vende e ao mesmo tempo onde há o maior índice de informalidade e precariedade, altas jornadas de trabalho e violações nos direitos dos trabalhadores - disse.
Além das reivindicações gerais da data, os comerciários reivindicam o fim da informalidade e redução da jornada de trabalho, que atualmente chega a 52 horas semanais, para 40 horas sem redução dos salários.
- Foi graças ao consumo e ao trabalho do comércio que conseguimos ajudar a segurar a crise - ressaltou Patah.
 
MST e sindicatos fazem bloqueios em rodovias do Rio Grande do Sul
Manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e de sindicatos fazem diversos pontos de bloqueio em rodovias da região metropolitana de Porto Alegre e no interior do estado do Rio Grande do Sul na manhã desta quinta), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em balanço divulgado no final da manhã.
A BR-116 é a mais afetada até este momento. Em São Lourenço do Sul, no km 465 da BR-116, um grupo com mais de 100 pessoas iniciaram bloqueio total da pista às 10h com cerca de 60 máquinas agrícolas. Em Sapucaia do Sul, no km 252, manifestantes iniciaram de madrugada bloqueio da via queimando pneus e deixando as pistas central e lateral no sentido do interior para capital totalmente fechadas até as 9h.
No km 262, na altura de Canoas, a pista foi totalmente bloqueada nos dois sentidos desde as 6h30 e foi liberada às 9h30. Em Caxias do Sul, nos km 144, 146 e 151, as vias ainda não foram liberadas pelos manifestantes.
Em Pinheiro Machado, no km 108 da BR-293, cerca de 40 pessoas bloqueiam a rodovia. 50 manifestantes interditam a pista no km 2 da BR-392, na altura de Rio Grande. Em Capão do Leão, no km 15 da BR- 293, 100 manifestantes fizeram o bloqueio total da rodovia.
Em Erechim, nos km 44 e 49 da BR-153, às 10h, manifestantes iniciaram o bloqueio total da rodovia com aproximadamente 300 manifestantes nos dois pontos de bloqueio. Em São Borja, no km 676 da BR-285, junto à Ponte Internacional da Integração, o bloqueio total por cerca de 50 manifestantes foi iniciado às 7h30.
Em Porto Alegre, no km 98 da BR- 290, no vão móvel da ponte sobre o Rio Guaíba, cerca de 70 manifestantes interditaram a pista até as 10h, segundo a PRF. Em Eldorado do Sul, no km 111 da BR-290, integrantes do MST liberaram as cancelas do pedágio da Concepa - concessionária de rodovias no Rio Grande do Sul - para todos os veículos.
 
BR-101 é a rodovia mais afetada por interdição de manifestantes na Bahia
Na Bahia, as interdições de rodovias se concentram na BR-101 e estão sendo feitas pelos integrantes do MST e da CUT, de acordo com a assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no estado. No fim da manhã, ainda havia três pontos de interdição: no km 694, altura de Eunápolis; km 831, em Itamaraju; e km 940, em Teixeira de Freitas.
Segundo a PRF, os manifestantes bloquearam a rodovia BR-242, que liga Salvador a Brasília, no km 827, na altura de Barreiras. Na BR-116, a interdição ocorreu no km 427, em Feira de Santana. Na BR-324, que liga Salvador a Feira de Santana (BA), houve dois pontos de bloqueio: no km 605, em Simões Filho, e no km 518, em Feira de Santana. Essas vias foram liberadas, de acordo com a PRF.
 
Estradas federais têm 25 pontos bloqueados
Vinte e cinco pontos de estradas federais permanecem interditados até o momento, segundo a PRF. O estado onde há mais bloqueios é o Rio Grande do Sul, com 11 interrupções. O ponto mais crítico é na BR-116, próximo a Caxias do Sul, nos km 144, 146 e 151. Também na BR-116, no km 465, perto de Lourenço do Sul, a PRF identificou um bloqueio.
Na Região Nordeste, há interdições na Paraíba, próximo a Cajazeiras, na BR-230, km 504; em Sergipe, no município de Japaratuba, na BR-101, km 47; no Piauí, em Altos, na BR-343, nos km 313 e 324 - próximo a Teresina. No Ceará, o trânsito também está suspenso próximo a Sobral, na BR-222, km 221.
Em Pernambuco, onde foram bloqueadas as vias de acesso ao Porto de Suape no início da manhã, foram liberados os bloqueios em São Caetano, município próximo a Caruaru, e em Belém do São Francisco, a 486 km do Recife. Permanecem interditados os km 94 da BR-428, próximo à Santa Maria da Boa Vista; o km 44, da BR-116, próximo a Salgueiro; e o km 95, da BR-104, próximo a Agrestina.
No Sudeste, a PRF informou que estão bloqueadas as BR-116, km 125, próximo a Caçapava (SP), e o começo da BR-262, no município de Cariacica (ES). No Rio de Janeiro, manifestantes bloquearam, no início da manhã, uma ponte entre os municípios de Rio das Ostras e Macaé, no norte fluminense.
Em São Paulo, a Via Anchieta está totalmente bloqueada por manifestantes em São Bernardo do Campo, Grande São Paulo, na altura do km 20, sentido capital, e do km 15, sentido litoral.
As rodovias federais na Região Centro-oeste estão, em boa parte, liberadas. Há registro de bloqueio pela PRF na BR-163, próximo a Sorriso, a cerca de 400 km de Cuiabá. Entre Goiás e o Distrito Federal, houve manifestação próximo ao Trevo de Flores de Goiás, encerrada por volta das 9h30. O trânsito volta ao normal com lentidão. No DF, no momento, a PRF não registra quaisquer bloqueios em rodovias federais, mas manifestantes se aglomeram na Esplanada dos Ministérios.
 
Dutra e Ayrton Senna também são alvo de protestos
Os protestos prejudicaram, pela manhã, a circulação de veículos nas rodovias Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, e Ayrton Senna, que interliga São Paulo a Guararema. Às 11h45, os manifestantes liberaram a pista da Ayrton Senna, no km 45, sentido Mogi das Cruzes, e passaram a ocupar o espaço sob um viaduto.
Segundo a concessionária Ecopistas, no horário não havia lentidão naquele ponto. Mas, a empresa recomendou aos motoristas optar pela Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, a 1,5 km de distância do acesso à Via Dutra, no km 130 da Carvalho Pinto, sentido interior. A concessionária informou ainda que nas rodovias Carvalho Pinto e Hélio Smidt, no acesso ao Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, o movimento é tranquilo.
Já a Via Presidente Dutra foi liberada pouco depois do meio-dia. A interdição ocorreu na pista marginal sentido Rio de Janeiro, nas proximidades de São José dos Campos. Porém, foi feito um desvio no km 222. De acordo com a concessionária Nova Dutra, no final da manhã, havia lentidão por cerca de três km nas proximidades.
Um balanço divulgado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos informou que mais de 15 mil metalúrgicos de 20 fábricas participaram do ato pelo Dia Nacional de Luta e entre eles estavam os empregados da General Motors, que além de fazer greve de 24 horas, pararam a Via Dutra, no km 142 por pouco mais de duas horas.
Uma outra interdição ocorreu na via de acesso à Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), em Caçapava. Na unidade, segundo o sindicato, os trabalhadores atrasaram a produção por três horas. Ações semelhantes ocorreram em outras fábricas da região.
“É hora de o governo atender a nossas reivindicações e tomar medidas em favor da classe trabalhadora”, disse, em nota, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.
 
Com informações da Agência Brasil

 

Geral

Com assistência e gol, Nixon ganha elogios de Mano Menezes

Jovem atacante entrou no segundo tempo diante do ASA/AL e ajudou o Flamengo na vitória por 2 a 0


Antes de colocar Nixon no lugar do volante Val, Mano Menezes conversou com o jovem e fez um pedido a ele. Acatando a solicitação do treinador, o garoto entrou em campo e foi fundamental para a vitória do Flamengo por 2 a 0 sobre o ASA/AL, na última quarta-feira, dia 10 de julho, pela terceira fase da Copa do Brasil. Além de uma assistência, ele também marcou um gol.

Aos 12 minutos do segundo tempo da partida, realizada em Arapiraca, Mano chamou Nixon para conversar. Três minutos depois, a placa anunciou a entrada do atacante no lugar do volante Val. O treinador revelou o pedido feito ao jovem.

“Pedi para ele entrar e fazer o que vem fazendo nos treinos, o que vem fazendo bem. Ele entrou no amistoso com São Paulo, mas não foi tão bem. Ele tem força para jogar por dentro e aprofundar a jogada. Precisamos que todos cresçam, isso que deixa o técnico contente”, revelou Mano.

Com o resultado deste primeiro jogo, o Flamengo leva vantagem para a partida de volta, no dia 17 de julho, no Raulino de Oliveira. O Rubro-Negro pode perder por até um gol que garantirá vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Geral

Cemitério Vale da Saudade passa por reformas em Queimados




A Prefeitura de Queimados começou a realizar as obras de revitalização do Cemitério Municipal Vale da Saudade, no bairro Tricampeão. O maior cemitério da cidade vai ganhar uma cara nova com um sistema de administração informatizado, nova iluminação e pintura, monitoramento 24 horas por câmeras de segurança, arborização e para oferecer mobilidade e conforto aos familiares foram adquiridos dois carros elétricos, além da climatização das três capelas existentes.

O cemitério possui mais de 5 mil sepulturas e jazigos. Desde a interdição do Cemitério Municipal de Queimados, no Centro, para enterros – exceto jazigos perpétuos – por conta de remapeamento e recadastro de túmulos, os sepultamentos passam a ser realizados no Vale da Saudade.

Para o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Rogério Brandi, a revitalização do cemitério será fundamental para suprir a demanda da mortalidade da região. “A reforma é a primeira depois de muito tempo. Queremos dar conforto e amenizar o sofrimento dos familiares nesse momento tão delicado. Com a revitalização teremos total controle do número de túmulos além de oferecer maior segurança”, explicou Brandi.

Primeira reforma desde a construção

A reforma do local é a primeira desde sua inauguração há mais de 16 anos. O Vale da Saudade é o maior do município com 2,2 quilômetros de extensão, sendo 11 vezes maior que o Cemitério do Centro. A área de reforma abrange uma extensão de mais de 100 mil m². Localizado na Avenida Padre José de Anchieta, o bairro é atendido por duas linhas de ônibus: uma municipal e a outra intermunicipal sentido Japeri.




Para o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Rogério Brandi, a revitalização do cemitério será fundamental para suprir a demanda da mortalidade da região. “A reforma é a primeira depois de muito tempo. Queremos dar conforto e amenizar o sofrimento dos familiares nesse momento tão delicado. Com a revitalização teremos total controle do número de túmulos além de oferecer maior segurança”, explicou Brandi.

Primeira reforma desde a construção

A reforma do local é a primeira desde sua inauguração há mais de 16 anos. O Vale da Saudade é o maior do município com 2,2 quilômetros de extensão, sendo 11 vezes maior que o Cemitério do Centro. A área de reforma abrange uma extensão de mais de 100 mil m². Localizado na Avenida Padre José de Anchieta, o bairro é atendido por duas linhas de ônibus: uma municipal e a outra intermunicipal sentido Japeri.

Terça-feira, 2 de Julho de 2013

Geral



Bilionário Eike Batista vê seu império

 ruir no último ano: ações despencaram

Eike Batista

Ainda não é o caso do empresário mineiro Eike Batista, 56 anos, pechinchar na feira, fazer carteira de estudante para pagar meia-entrada no cinema. Mas o império do ex-homem mais rico do Brasil está ruindo. O capítulo mais recente da derrocada de Eike aconteceu ontem, quando ele renunciou ao Conselho da MPX, uma das seis empresas de seu grupo, o EBX.
a
Foi uma tentativa de salvar a empresa do grupo até então menos desvalorizada na bolsa: suas ações caíram apenas 26,46% nos últimos 12 meses. A OGX, a mais afetada, caiu 85,6%.

A estratégia de se afastar da empresa deu certo. Se há bem pouco tempo parecia que tudo o que Eike tocasse virava ouro, ontem o efeito foi inverso. Com a saída do ainda bilionário do conselho, as ações da MPX cresceram 20% na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Além da renúncia de Eike, a MPX anunciou um aumento de capital privado de R$ 800 milhões.

Nos últimos 12 meses, a fortuna de Eike caiu de US$ 34,5 bilhões para US$ 2,9 bilhões e ele, que já foi o oitavo na lista dos mais ricos do mundo - e dizia abertamente que pretendia ser o primeiro - hoje não figura mais entre os 200, segundo o último ranking da agência Bloomberg.

E como tudo o que está ruim ainda pode piorar, segundo uma reportagem do jornal Valor Econômico, publicada ontem, o grupo EBX tem dívidas de US$ 1 bilhão com os bancos Itaú e Bradesco, e de outros US$ 2,3 bilhões com o fundo Mubadala, do emirado árabe de Abu Dabi. Os três credores têm ações de empresas do grupo como garantia.

Explicação
Mas o que teria dado de tão errado nos negócios do ex-marido de  Luma de Oliveira? “Ele criou um império no papel. Tudo na base das projeções, coisas com promessa de existir um dia. Mas chega uma hora em que a realidade vai mostrando que não era bem aquilo. Ele vendeu ideias que não se concretizaram e perdeu a confiança do mercado”, diz o economista Luis Carlos Ewald.

O mercado financeiro é muito sensível, continua o especialista. “E aí deu o efeito-manada”. Ele aponta outro erro do bilionário: arriscar demais. “Quanto maior o lucro, maior o risco. Ele apostou em tudo ao mesmo tempo e tudo deu errado ao mesmo tempo”.

Para Ewald, a crise de Eike não é problema só do bilionário, mas de toda a economia nacional. “Isso somado à volta da inflação, a essas manifestações, à falta de gasolina... só confirmam a condição de risco de se investir no Brasil”. Isso sem contar nos investidores brasileiros que compraram ações do grupo e acabaram tendo prejuízo.

“Ele foi com muita sede ao pote, por ser megalomaníaco está vendo agora o seu patrimônio minguar”, emenda o mestre em Economia Luiz Mário Ribeiro. “As perspectivas de rendimento futuro não se concretizaram e o risco das empresas dele cresceu. O mercado de ações é assim. Os preços sobem assustadoramente e de repente eles desabam”, explica Ribeiro.

Erros
Entre as coisas que deram errado na OGX (empresa de petróleo) está o campo de Tubarão Azul, na bacia de Campos. Antes de começar a ser explorado, os geólogos estimavam que ele seria capaz de produzir entre 500 e 900 milhões de barris  por dia.

A realidade ficou muito aquém: 110 milhões de barris. Além disso, no ano passado, a empresa descobriu que se tratava de um complexo de reservatórios, e não um único campo como imaginava. O problema é que ainda não há tecnologia desenvolvida para esse tipo de produção.

A reação em cadeia transformou em elefante branco o estaleiro da OSX em São João da Barra (RJ), que pode gerar ao grupo outro prejuízo bilionário. A unidade foi planejada para ser o “maior estaleiro das Américas”. Mas, sem petróleo da coirmã OGX, as encomendas não vieram. E o estaleiro, de 2,5 milhões de metros quadrados de área útil, cais erguido e galpões em pé, ficou ocioso. A OSX tenta negociá-lo, mas ninguém está disposto a pagar o valor inicialmente previsto. 

Ou então não foi nada disso. Conhecido por suas superstições, toda a família de Eike (os filhos Thor e Olin e a ex-mulher Luma) têm nomes de quatro letras. Acontece que esse ano nasceu o caçula Baldur. Seis letras. Teria sido ele
o azarado?

correio24horas

Saúde

Qualidade de Vida


Viver com qualidade e ter qualidade de vida é um assunto que tem preocupado muitas pessoas em nosso século. Conciliar trabalho e vida pessoal ainda é um dos maiores desafios das pessoas, e em particular dos executivos, em face às muitas exigências do mundo moderno. E com isso temos sido dia após dia escravos do relógio.
Dividido entre obrigações e vida pessoal, muitos dos profissionais se ressentem de não ter tempo para a família, lazer e saúde, e se “apavoram” quando começam a perceber e sentir os sinais de estresse em seu corpo, decorrente da agitação, pressões, cobranças, etc.
No quesito “exaustão física e emocional”, que avalia o nível de estresse do trabalhador, o Brasil registrou o segundo por índice, ficando atrás apenas do Japão e superando países como China, Estados Unidos e Alemanha.1
Outro fator que o executivo deve também se ater na busca de uma melhor qualidade de vida não só no trabalho, como fora dele é sempre procurar ter atitudes preventivas. Perceber o mundo de forma positiva. Criar uma atmosfera de entusiasmo e harmonia. Mudar para melhor. Ter paixão pelo que se faz. Repensar as prioridades da vida. Aproveitar a Empresa para crescer. Equilibrar razão e emoção. Fazer mais concessões para si. Ter maior flexibilidade para lidar com as diferenças. Ter um bom relacionamento familiar e com os amigos. Planejar desde já o seu projeto de vida.