segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Homem é Preso Tentando Vender Serviços de Adulteração de Urnas Eletrônicas

 

Ele tentou vender 'contato' com engenheira do TRE-PR para coligação.
Delegacia de Almirante Tamandaré investiga se é estelionato ou crime eleitoral.

 

    Um homem de 27 anos foi preso na tarde desta sexta-feira (14), emAlmirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, por tentativa de estelionato. Segundo a Polícia Civil, ele tentou vender a uma coligação que disputa a prefeitura do município uma maneira de adulterar as urnas eletrônicas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por R$ 50 mil.
O delegado José Vitor Pinhão, que investiga o caso, disse ao G1 que o suspeito procurou a coligação no dia 4 de setembro oferecendo o serviço. “Ele alegou que tinha uma conhecida no TRE, uma engenheira que adulteraria as urnas para beneficiar a coligação, mediante pagamento”, contou Pinhão.  No dia seguinte, ele retornou ao comitê da coligação para negociar, mas os representantes filmaram todo o ocorrido.
Nesta sexta, a coligação entrou em contato com a Delegacia informando que o suspeito estava na cidade e gostaria de “resolver o negócio”. “Nós acompanhamos e acabamos prendendo ele em flagrante na sede da coligação”, informou o delegado. A princípio, o suspeito deve responder pela tentativa de estelionato, mas as investigações pretendem apurar se o esquema de adulteração realmente procede.
O homem preso nesta sexta cumpria pena em regime semiaberto por roubo, mas, a partir de agora, deve voltar ao regime fechado.

Suspeito afirmou que poderia adulterar urnas eletrônicas
(Foto: Divulgação/Nelson Jr./ASICS/TSE)


Fonte: G1 e Folha



 Entram em Cena os “institutos de pesquisa”: Primeira Etapa da Fraude Eleitoral Eletrônica


    C
om o inicio do circo eleitoral, desta vez de características municipais, as pesquisas eleitorais são o primeiro “combatente” político da burguesia a entrar em cena, antes mesmo do próprio horário eleitoral gratuito.
Como a maioria das candidaturas majoritárias postas pelo regime carece de base social, as pe
squisas eleitorais cumprem a função de “popularizar” os postulantes do anonimato, que sempre começam a corrida eleitoral com índices muito baixos, para depois repentinamente aparecerem liderando a disputa. A exceção se faz quando se trata dos governantes que pleiteiam a reeleição, neste caso ou já partem disparados na frente (um indício de que a eleição já está definida) ou não conseguem decolar em momento algum (sinal de que perderam o apoio da burguesia). Muitos ingênuos (úteis) poderiam pensar que o IBOPE ou Data Folha realmente utilizam elementos técnico-científicos em seus trabalhos por “encomenda”, ledo engano! Estes supostos “institutos” ganharam um enorme peso político com a implantação do sistema eleitoral totalmente digitalizado, ou seja, na votação eletrônica (voto virtual) e totalização computadorizada. Como não se pode mais aferir o voto do cidadão, pela inexistência de sua materialidade, a totalização eletrônica fica a cargo de uma equipe de “técnicos” dos TREs, subordinados aos desembargadores nomeados pela oligarquia dominante em cada região. Neste caso, as “pesquisas eleitorais”, promovidas pelos respeitáveis “institutos”, só precisam de um software instalado nos respectivos computadores do TRE para confirmarem seus prognósticos estatísticos. Em quase duas décadas do surgimento da urna eletrônica, já são inúmeros os casos mais evidentes e “patéticos” do golpe da “casadinha”, ou seja, pesquisa eleitoral e urna eletrônica atuando em conjunto, sob o comando da máfia burguesa hegemônica. Um destes episódios burlescos, marcados pela pantomima de seus protagonistas, foi a eleição do ex-governador Lúcio Alcântara em 2002, pelo PSDB-CE, quando o TRE emitiu o último boletim oficial dando a vitória ao candidato petista José Aírton, o tucano de “alta plumagem”, Tasso Jeressati, pego de “surpresa” correu até a sede da justiça eleitoral para ele próprio emitir um novo resultado (anulando o boletim já divulgado) empossando o correligionário Lúcio Alcântara.

A fraude eleitoral, não nasceu com a urna eletrônica nem tampouco com as pesquisas eleitorais, é um produto histórico inerente a própria democracia burguesa. Lenin há mais de um século, estudou os mecanismos do processo eleitoral, no marco da ditadura capitalista, concluindo que seus resultados expressam sempre a forma distorcida da vontade popular. Passadas várias décadas e distintas etapas da correlação de forças da luta de classes, podemos afirmar que hoje o processo político da fraude no interior das eleições representativas não só foi ampliado como tornou-se um sofisticado mecanismo da “indústria” eleitoral. Isto significa que as distorções políticas próprias da democracia burguesa, como o peso econômico dos candidatos ou o apoio que recebem da imprensa capitalista, agora são potenciados pela manipulação direta do voto popular.

Casos como o escândalo do Proconsult, na eleição de 1982 no Rio de Janeiro, onde a poderosa rede Globo buscou impedir a vitória de Leonel Brizola, são considerados hoje como os primeiros “laboratórios” da fraude eletrônica. Em 1989, na primeira eleição direta para presidente após a saída de cena da ditadura militar, novamente a família Marinho atuou para derrotar um candidato considerado “adversário” de seus interesses, combinando a farsa midiática com a fraude na totalização dos votos. Com a legitimação social das pesquisas, agora ficou bem mais fácil “adequar” os boletins oficiais da justiça eleitoral, impossíveis de serem contestados por qualquer partido político ou organização da classe operária. Todos devem confiar na lisura de nossos “probos” juízes e desembargadores, já que o voto virtual não pode ser armazenado e tampouco recontado, a não ser nos programas dos computadores estatais.

A esquerda reformista tupiniquim aceitou passiva a introdução da urna eletrônica, saudando o atual mecanismo de contagem de votos como um “avanço da modernidade”, o curioso é que países na vanguarda da eletrônica e informática, como o Japão e até mesmo os EUA, não adotaram este sistema virtual, pela insustentabilidade de sua aferição material. Na verdade, para se instalar institucionalmente um mecanismo eleitoral fraudulento como o brasileiro, inclusive já exportado para outras semicolônias, é necessário um amplo acordo político no seio das classes dominantes com o objetivo de estabilizar o regime burguês por um longo período. No caso de países imperialistas, com uma tradição republicana mais arraigada e sem um profundo consenso partidário no interior da burguesia, fica impraticável estabelecer a completa virtualidade do processo eleitoral.
Como marxistas não depositamos nenhuma confiança ou credibilidade nos instrumentos e cortes da justiça eleitoral e seus “parceiros” do IBOPE… Desgraçadamente, a chamada “oposição de esquerda” seguiu o mesmo caminho do reformismo “chapa branca”, e se recusa a denunciar a urna eletrônica, como parte integrante deste grande embuste representado por este regime bastardo da democracia dos ricos e seu escopo institucional. A classe operária poderá avaliar a conveniência política conjuntural de participar ou não de um processo eleitoral burguês, mas sem nunca legitimar seus resultados cada vez mais fraudulentos e corruptos, signos da atual etapa mundial de brutal ofensiva imperialista sobre os povos e nações oprimidas.
Fonte: Diário Liberdade
Irlanda Também Reprova Urnas Eletrônicas sem Voto Impresso


    Confirmando a tendência mundial de evolução dos sistemas eleitorais para a 2ª geração de voto eletrônicocom voto impresso, o Governo da Irlanda acaba de sucatear por €$ 9,30 cada uma das 7.000 urnas eletrônicas compradas em 2002 por €$ 720,00 cada.

O motivo do sucateamento foi a falta de confiabilidade desses equipamentos porque não pro

duzem um via impressa do voto que pudesse ser conferida pelo eleitor e usada como via de auditoria do resultado (audit trail), conforme estudo de uma comissão independente (da autoridade eleitoral) montada pelo governo irlandês.

A noticia Local diz:

"Bought in 2002, the machines were supposed to be used in local, general and European elections, and in referendums. But an independent commission found two years later that the lack of a paper trail and security issues meant they could not be used."

Aqui no Brasil, estudos independentes (SBC, COPPE-UFRJ, CMind, etc.) chegaram a mesma conclusão, mas nossa autoridade eleitoral, onipotente, ignora todos os estudos independentes e só considera aqueles feitos por técnicos escolhidos a dedo pela Secretaria de Informática do próprio TSE para produzirem relatórios repletos de falácias em sustentação das já superadas urnas DRE de 1ª geração (sem voto impresso e sem possibilidade de auditoria do resultado) que o TSE insiste em usar.




Origem do nome do nome que originou o município de Queimados/RJ.

   Com a construção da Estrada de Ferro D.Pedro II, que pelo projeto inicial deveria se estender até a Freguesia de Nossa Senhora de Belém e Menino Deus, atual Jacutinga, cheg
aram milhares de operários chineses. Muitos deles foram vitimados pela malária e cólera, que arrasou toda a Colônia, em 1855.

Segundo a história, a origem do nome do município deve-se a este acontecimento, uma vez que os chineses tinham por costume queimar os seus mortos. Este costume criou entre os populares, que tinham que passar pelo local onde os chineses haviam sido queimados, a seguinte forma de indicar o caminho: "vou pela estrada dos queimados", o que acabou por nomear a localidade.

História

Em 29 de março de 1858, a família imperial, a bordo do primeiro trem da Estrada de Ferro D. Pedro II, seguia em missão especial para inaugurar o trecho de 48 km compreendido entre a Estação do Campo até Queimados. A população do lugarejo, que assistiu a solenidade, sentiu-se honrada pela visita do Imperador e entendeu aquele momento como sendo o instante oficial da inauguração do povoado de Queimados.

No século XVIII, a localidade onde está situado o município de Queimados fazia parte das terras da freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu. Esta foi a última das freguesias do então município de Iguassu, que era posto ainda pelas freguesias de Nossa Senhora da Piedade do Iguassu, Santo Antonio da Jacutinga, Nossa Senhora do Pilar e São João de Zmiriti. A Freguesia de Nossa Senhora do Marapicu, por sua importância econômica, acabou recebendo o título de Freguesia Perpétua.

Com a expansão da economia cafeeira, em meados do século XVIII, foi construída a Estrada de Ferro D. Pedro II, trazendo mais prosperidade à região. O projeto inicial desta ferrovia previa a extensão dos trilhos até a Freguesia de Nossa Senhora de Belém e Menino Deus, atual Jacutinga, que chegou a construir um prédio para sediar a estação. Porém, milhares de operários chineses, construtores da estrada, foram vitimados tanto pela malária quanto pela epidemia de cólera, que arrasou toda a Colônia, em 1855. Como a morte dos chineses iria retardar o assentamento dos trilhos, rapidamente foi construída a Estação de Queimados.

Desde 1833, a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu correspondia a um Distrito Eclesiástico, que era subordinado à Câmara da Cidade do Rio de Janeiro, representado por um Intendente que ficava em Nova Iguaçu, naquela época Vila de Iguassu. Marapicu e Queimados estiveram, durante muito tempo, disputando a sede deste distrito. Em 1944, sob o decreto Lei Estadual, nº 1063, Queimados passa a ser o 2º Distrito de Nova Iguaçu.


Fonte: IBGE

Foto: Origem do nome do nome que originou o município de Queimados/RJ.

  Com a construção da Estrada de Ferro D.Pedro II, que pelo projeto inicial deveria se estender até a Freguesia de Nossa Senhora de Belém e Menino Deus, atual Jacutinga, chegaram milhares de operários chineses. Muitos deles foram vitimados pela malária e cólera, que arrasou toda a Colônia, em 1855.

Segundo a história, a origem do nome do município deve-se a este acontecimento, uma vez que os chineses tinham por costume queimar os seus mortos. Este costume criou entre os populares, que tinham que passar pelo local onde os chineses haviam sido queimados, a seguinte forma de indicar o caminho: "vou pela estrada dos queimados", o que acabou por nomear a localidade.

História

Em 29 de março de 1858, a família imperial, a bordo do primeiro trem da Estrada de Ferro D. Pedro II, seguia em missão especial para inaugurar o trecho de 48 km compreendido entre a Estação do Campo até Queimados. A população do lugarejo, que assistiu a solenidade, sentiu-se honrada pela visita do Imperador e entendeu aquele momento como sendo o instante oficial da inauguração do povoado de Queimados.

No século XVIII, a localidade onde está situado o município de Queimados fazia parte das terras da freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu. Esta foi a última das freguesias do então município de Iguassu, que era posto ainda pelas freguesias de Nossa Senhora da Piedade do Iguassu, Santo Antonio da Jacutinga, Nossa Senhora do Pilar e São João de Zmiriti. A Freguesia de Nossa Senhora do Marapicu, por sua importância econômica, acabou recebendo o título de Freguesia Perpétua.

Com a expansão da economia cafeeira, em meados do século XVIII, foi construída a Estrada de Ferro D. Pedro II, trazendo mais prosperidade à região. O projeto inicial desta ferrovia previa a extensão dos trilhos até a Freguesia de Nossa Senhora de Belém e Menino Deus, atual Jacutinga, que chegou a construir um prédio para sediar a estação. Porém, milhares de operários chineses, construtores da estrada, foram vitimados tanto pela malária quanto pela epidemia de cólera, que arrasou toda a Colônia, em 1855. Como a morte dos chineses iria retardar o assentamento dos trilhos, rapidamente foi construída a Estação de Queimados.

Desde 1833, a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu correspondia a um Distrito Eclesiástico, que era subordinado à Câmara da Cidade do Rio de Janeiro, representado por um Intendente que ficava em Nova Iguaçu, naquela época Vila de Iguassu. Marapicu e Queimados estiveram, durante muito tempo, disputando a sede deste distrito. Em 1944, sob o decreto Lei Estadual, nº 1063, Queimados passa a ser o 2º Distrito de Nova Iguaçu.


Fonte: IBGE

Diretor da Google no Brasil tem prisão decretada 

Juiz eleitoral da Paraíba acusa executivo de crime de desobediência por não retirar vídeo que ofende candidato a prefeito de Campina Grande.


   Edmundo Luiz Pinto Balthazar, diretor geral da Google no Brasil, teve a sua prisão decretada pelo juiz eleitoral de Campina Grande, na Paraíba, Ruy Jander. De acordo com a Agência Estado, o executivo de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo foi acusado de crime de desobediência.

A sentença foi executada porque Balthazar teria ignorado a determinação de retirada de um vídeo do YouTube no qual o candidato a prefeito, e líder nas pesquisas, de Campina Grande, Romero Rodrigues do PSDB, é ofendido.

Segundo a publicação, o site humorístico "Humor Paraíba" é o responsável pelo vídeo em que o político é chamado de burro em uma montagem com o clássico bordão do personagem Chaves: “Ai, que burro! Dá zero pra ele”. Confira a filmagem que causou tanta polêmica acima.

O motivo da ofensa é que Romero Rodrigues erra o nome do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), trocando “desenvolvimento” por “desempenho”, ao apresentar as suas propostas de governo relacionadas com a educação.

O magistrado afirma que o diretor da Google foi notificado e pôde se defender, o qual teria solicitado que o juiz reconsiderasse a ordem de prisão – o que foi negado. "Conforme informação da parte atingida pela propaganda ridicularizante, há de se adotar as medidas necessárias para que o poderoso provedor de internet respeite a legislação brasileira e as autoridades constituídas", comentou Jander.
A Google contra-ataca

Em resposta oficial, a empresa se defende: "O Google vem a público esclarecer que vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral do estado da Paraíba por entender que ela viola garantias fundamentais, tais quais a ampla defesa, o devido processo legal e a liberdade de expressão constitucionalmente assegurada a cada cidadão.

O Google acredita que os eleitores têm direito a fazer uso da Internet para livremente manifestar suas opiniões a respeito de candidatos a cargos políticos, como forma de pleno exercício da Democracia, especialmente em períodos eleitorais.

O Google não é o responsável pelo conteúdo publicado na Internet, mas oferece uma plataforma tecnológica sobre a qual milhões de pessoas criam e compartilham seus próprios conteúdos".

Fonte: Agência Estado

 

Brasileiros passam 8 horas por mês no Facebook

Média de tempo gasto pelos usuários brasileiros já ultrapassou os números globais.
 

 


   Quanto tempo por mês você passa vendo as atualizações de seus amigos no Facebook? Pois a média brasileira acabou de ultrapassar a média global, o que coloca os brasileiros em uma posição de destaque na rede social – algo que deve ser encarado de uma maneira interessante por anunciantes. Segundo um estudo do comScore, já são mais de oito horas por mês ligados nas páginas do Facebook (contra 6,3 horas da média mundial).
Assim como aconteceu com o Orkut há alguns anos, os brasileiros formam a segunda maior nação conectada ao Facebook – estando apenas atrás dos Estados Unidos –, com um total de 54 milhões de pessoas conectadas,.Robert D’Onofrio (diretor global de audiência) relatou que o Brasil está à frente do resto do mundo em um quesito: acesso ao Facebook por smartphones (em um total de 37% de adesão dos usuários).
Ainda no mesmo estudo, foi revelado que a interação do Facebook mais utilizada pelos brasileiros está no compartilhamento de fotos, o que é realizado por 82% dos entrevistados. As duas outras ações mais comuns são “curtir fotografias” (74%) e “ler atualizações de status” (73%).


Fonte: comScore e Folha

Preso usava celular para acessar o Facebook

Caso aconteceu no Paraná, sendo que o detento chegou a publicar fotos da sua cela.



(Fonte da imagem: Reprodução/UOL)

   Você costuma acessar o Facebook com frequência? Pois um preso de Uraí — cidade paranaense que fica a 416 km de Curitiba — também tinha esse costume. O detento se chama Leandro Martins de Oliveira (22) e está há um mês cumprindo pena por tráfico de drogas.
Ao contrário do que se pode pensar, Oliveira estava usando a rede social apenas para curtir comentários de amigos e publicar fotos da sua cela, na companhia de outros detentos. Os policiais descobriram a quebra de conduta depois de acharem diversas fotografias postadas pelo preso.
O delegado afirmou que não sabia da existência da possibilidade do celular se conectar à internet, já que o modelo não era um smartphone. Por conta disso, uma vistoria foi realizada e visitas aos presos foram proibidas — o que resultou na apreensão de mais três aparelhos.
Além disso, Oliveira alegou não ter conhecimento de que acessar o Facebook poderia causar tantos problemas.

Fonte: UOL













terça-feira, 11 de setembro de 2012


Prefeitura de Queimados Entrega 220 Casas do Programa “Minha Casa, Minha Vida” 
no Belmonte

                Decreto presidencial beneficia contemplados e reduz prestações em 50% já no primeiro mês

Sub-Secretária de Habitação do Município de Queimados, Sra. Ruth Costa
   Mais 220 famílias queimadenses acordaram nesta última sexta-feira, 31 de agosto, transformando o que antes era apenas um sonho em realidade. A Prefeitura de Queimados, em parceria com a Caixa Econômica Federal, realizou a entrega das unidades habitacionais do Residencial Senador Paulo Duque, no bairro Belmonte. O empreendimento faz parte do ‘’Minha Casa, Minha Vida’’, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), desenvolvido pelo Governo Federal e já beneficiou até o momento mais de quatro mil pessoas no município.
   As casas são destinadas às famílias que recebem até R$ 1.600,00 por mês. Na ocasião, a subsecretária de Habitação de Queimados, Ruth Costa, anunciou em primeira mão aos proprietários o aumento do subsídio do governo para as famílias beneficiadas. “A partir de agora as prestações vão comprometer apenas 5% da renda familiar, ao invés de 10%, como era previsto anteriormente. O decreto da Presidente Dilma vai garantir que o Governo Federal arque com o restante do valor do imóvel, o equivalente a 95%. Não poderíamos estar mais felizes’’, afirmou a subsecretária.
   Após o decreto presidencial, a parcela mínima a pagar caiu de R$ 50 para R$ 25. Para o frentista e síndico do condomínio, Marcelo Pereira da Silva, de 42 anos, a medida não poderia ter vindo em hora mais propícia. “O que já estava bom agora ficou ainda melhor. Para quem morava de aluguel com a família, pagando mais de R$300 por mês, passar a pagar uma prestação que vai custar menos de R$80 da casa que vou poder chamar de minha é maravilhoso. Com a economia já penso em, finalmente, começar o curso de radiologia que já havia sido deixado de lado diversas vezes”, revelou o síndico, que não escondia o sorriso estampado no rosto e nem largava a chave do novo imóvel.
Provando mais uma vez que Queimados não mede esforços para melhorar a qualidade de vida da população, a cidade foi a primeira da Baixada Fluminense a assinar o convênio de construção de unidades habitacionais com o programa “Minha Casa, Minha Vida”. Só no Condomínio Valdariosa foram construídos 1.500 apartamentos divididos em três fases, todos já entregues.
   Todas as unidades têm sala, cozinha, dois quartos, banheiro, área de serviço, além de áreas privativas nos fundos e na frente. O condomínio também conta com rampas de acesso e casas adaptadas para pessoas com mobilidade reduzida, onde as portas são mais largas e o banheiro também possui barras de apoio para facilitar o uso de pessoas com limitações físicas e cadeirantes.
  Os critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades garantem que pessoas com deficiência, mulheres chefes de família, assim como as que estão sendo beneficiadas pelo Programa Auxílio-Moradia (moradores de áreas de risco), terão garantidos os seus imóveis, respeitadas as proporções legais. Aos idosos serão destinados 10% e aos deficientes 5%.

Fonte: Preitura de Queimados.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Preso por furtar frango comemora liberdade com churrasco em família

Cláudio Charles ficou 7 dias preso por furtar pedaços de frango congelado. Segundo ele, os 2kg de frango seriam jogados no lixo.

Cláudio comemora a liberdade em um churrasco com a família (Foto: Isabela Marinho / G1)
Isabela Marinho Do G1 RJ

Cláudio Charles Gonçalves Pereira, de 33 anos, ficou sete dias preso por furtar pedaços de frango congelado na empresa onde trabalhava. Ele foi solto na noite desta terça-feira (4) e recebido por sua família, que o aguardava com um churrasco na casa de sua mãe, em Nova Aurora, bairro de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, para comemorar a liberdade.

“Ah, eu estou muito feliz de estar em casa. Esta uma semana que fiquei preso foi uma eternidade. Ficar longe da minha família, da minha mulher, dos meus amigos aqui da rua foi muito ruim”, disse. Ele brincou que agora se tornou vegetariano. “Agora eu não como mais frango, não. O churrasco aqui hoje é só carne de porco e carne de boi mesmo”. 

Ele trabalhava em uma empresa terceirizada que oferece lanches e refeições à Petrobras, na Ilha do Governador. Além dele, outros dois funcionários foram presos em flagrante acusados de furtar pedaços de frango congelado, barras de cereais e iogurte. Eles alegaram que só pegaram a comida que seria jogada no lixo. No dia seguinte ao ocorrido, os três pagaram fiança, equivalente a um salário-mínimo, e foram soltos.
Mesmo assim, o Ministério Público pediu que os funcionários ficassem presos até o fim do julgamento. Após o pedido do MP, a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva para os três acusados. No entanto, apenas Cláudio voltou a ser preso.
Cláudio afirma que os 2kg de frango iriam para o lixo e, por isso, colocou na mochila para levar para casa. Segundo ele, em dois anos e três meses ele nunca tinha visto ninguém ser revistado dentro da empresa. No dia 19 de junho, foi feita uma inspeção e encontraram o frango na mochila de Cláudio. Ele foi levado para a 54ª DP (Belford Roxo) e pagou uma fiança no valor de um R$622,00. Na terça-feira, 28 de agosto, a polícia buscou Cláudio em casa e o levou para a delegacia novamente. Da 54ª DP, ele foi encaminhado para Bangu II e posteriormente para Japeri.
Ele dividiu uma cela com mais doze homens, entre eles acusados de tráfico e estupro. “Quem tem colchão para dormir, dorme, quem não tem, dorme no chão, no frio mesmo. É complicado”, disse.

A Justiça revogou a prisão de Cláudio em 30 de agosto, mas o alvará de soltura foi expedido apenas na segunda-feira (3). No mesmo dia 30, ele foi transferido para Japeri sem nem poder avisar a sua família.
Para chegar até o trabalho Cláudio caminhava 15 minutos do bairro Bela Vista até a rodoviária Nova Aurora, em Belford Roxo. Lá ele aguardava o ônibus da empresa que levava ele e seus colegas até a Ilha do Fundão. Cláudio trabalha desde os 17 anos de idade. Começou ajudando o seu pai, que é proprietário de um armazém na mesma rua onde moram. Depois começou a fazer diversos bicos: trabalhou como ajudante de obras e como vendedor no Ceasa. Este era o terceiro trabalho de Cláudio com a carteira assinada.

Ele se diz preocupado em não conseguir um novo emprego por ter sido preso.
“Eu preciso trabalhar, eu sou casado, minha mulher tem filhos que eu tenho que sustentar. Ela está trabalhando sozinha agora. Eu quero arrumar um serviço também”, disse.
O irmão de Cláudio, Gilson Pereira, não se conforma com o fato de a fiança ter sido paga pela família de Cláudio e, ainda assim, ele ter sido preso sem julgamento. “A gente quer saber por que isso aconteceu. A juíza tinha que dar a sentença. Ele foi condenado antes de ser julgado”, disse.
Cláudio não foi demitido por justa causa. Em sua carteira consta dissídio coletivo, mesmo sem ter havido nenhum acordo entre ele e a empresa.

O incidente ocorreu no dia 19 de junho no restaurante do Centro de Pesquisas da Petrobras, na Ilha do Fundão. A empresa terceirizada que oferece lanches e refeições à Petrobras registrou queixa na delegacia contra os três funcionários.

No dia 20 de junho, o Ministério Público pediu a prisão preventiva porque entendeu que o crime era mais grave por se tratar de funcionários da empresa. A Justiça decretou a prisão, que foi cumprida na semana passada.

Fonte: G1


Prefeito e Políticos de Guapimirim, no 
                 Rio Janeiro, São Presos

Uma operação contra uma quadrilha formada por políticos de Guapimirim, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, prendeu na manhã desta quarta-feira o prefeito, dois secretários municipais
e o presidente da Câmara dos Vereadores da cidade. Eles são acusados de desviar mais de R$ 1 milhão dos cofres da Prefeitura em quatro anos e foram pegos tentando subornar policiais com uma quantia de R$ 800 mil em notas de R$ 100 e R$ 50.

A operação Os Intocáveis começou há sete meses e tem a participação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), da Subsecretaria de Inteligência (Ssinte) da Secretaria de Estado de Segurança (Seseg) do Rio e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual. O Ministério Público denunciou 16 pessoas sob acusação de formação de quadrilha armada, fraude em licitação, corrupção ativa, coação no curso do processo e peculato, crimes que podem somar até 24 anos de prisão.

De acordo com a Seseg, sete mandados de prisão e 45 de busca e apreensão estão sendo cumpridos. Além do prefeito Renato Costa Mello Júnior, o "Júnior do Posto", do presidente da Câmara, Marcelo Prado Emerick, e dos dois secretários, outras 11 pessoas foram indiciadas, incluindo três vereadores.

Entre as práticas usadas pela quadrilha para desviar dinheiro público estão o superfaturamento no aluguel de veículos para a Prefeitura e a compra de merenda escolar. O presidente da Câmara dos Vereadores, conhecido como "Marcelo do Queijo", também prestava serviços superfaturados à administração municipal com sua própria empresa de ar-condicionado.

O prefeito Renato Costa Mello Júnior tem 35 anos, já foi deputado estadual em 1998 (aos 21 anos) e vice-prefeito de Guapimirim, em 2004. Em 2008, tornou-se candidato a prefeito após a candidatura à reeleição de seu tio, o "Nelson do Posto", ter sido impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Folha Kariocas

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Passeata reúne 200 mil no Rio contra 
partilha dos royalties 
Juliana Prado e paula Bianchi Direto de Rio de Janeiro

Manifestantes vindos de várias regiões do Rio de Janeiro e de outros Estados se reuniram na tarde desta segunda-feira

     Em uma passeata contra o projeto aprovado na Câmara Federal que redistribui os royalties do petróleo entre todos os Estados a partir de 2013. Políticos de vários partidos, puxados pelo governador fluminense Sérgio Cabral (PMDB), se uniram a prefeitos e deputados que representam municípios produtores para pressionar a presidente Dilma a vetar o texto atual do projeto.

    Segundo cálculos da Polícia Militar, 200 mil pessoas prestigiaram a passeata, que percorreu vias do centro do Rio de Janeiro até chegar à Cinelândia, onde acontecem várias manifestações de artistas e para onde estão previstas apresentações musicais. Em meio a muito tumulto e empurra-empurra, políticos de Estados como São Paulo e Espírito Santo se uniram para reforçar o coro contra o projeto. Com atraso de cerca de uma hora e meia, o governador Cabral chegou ao ponto marcado para o início da passeata, na região da Candelária Entre os presentes, o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), os senadores Francisco Dornelles(PP) e Lindberg Farias (PT), o governador do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB), o secretário de energia de São Paulo José Anibal (PSDB), que representou o governador do Estado, Geraldo Alckmin, entre outros. No meio dos políticos, a atriz Fernanda Montenegro, uma espécie de porta-voz da causa no Rio de Janeiro, e a apresentadora e escritora Maria Paula. Um início de tumulto durante a caminhada do grupo fez com que o percurso fosse desviado.

     Os protestos dos Estados produtores uniram nesta tarde desafetos políticos históricos, como Cabral e o deputado federal Anthony Garotinho (PR), por exemplo. Presente à caminhada ao lado da prefeito de Campos Rosinha Garotinho (PR), ele defendeu o veto de Dilma e disse estar esperançoso na mudança de rumos favoravelmente aos produtores.

    "Construímos o acordo previamente na Câmara e este acordo não foi cumprido pelos deputados (representantes de estados não-produtores). A presidente Dilma tem todos os argumentos - políticos e jurídicos - para vetar o projeto. Aquilo que está pactuado (contratos assinados até agora) não se mexe", defende Garotinho. Ele disse que não vê porque a presidente se sentir pressionada ou acuada com a manifestação desta tarde no Rio. "A presidente Dilma Rousseff tem que entender a posição do Estado do Rio de Janeiro. Os direitos pertencem aos Estados. Ela precisa garantir o pacto federativo senão daqui a pouco vai abrir brecha para se mexer, por exemplo, na Sudene e na Zona Franca de Manaus", argumentou.
Veto parcial
    Já o senador Lindbergh Farias (PT), aliado de primeira hora de Dilma e do ex-presidente Lula, acredita que Dilma irá vetar o texto parcialmente, garantindo aos estados produtores o mesmo percentual de recebimento de royalties em cima do que já foi pactuado, ou seja, dos contratos já vigentes. Também presente ao ato público o deputado estadual Roberto Dinamite afirmou que a manifestação "só ratifica o peso do Rio" e dos estados produtores. "O Rio merece (que o projeto seja vetado) por tudo o que o Estado produz. Sabemos que outros estados tem que se beneficiar, mas é preciso entender a expressividade do Estado".

Artistas e políticos participam de manifestação no RJ
Foto: Mauro Pimentel
.
 
Com status de estrela, que ele mesmo recusa
Joaquim Barbosa novo presidente do STF 


Foto divulgação da posse de Joaquim Barbosa como presidente do STF
 
     Joaquim Barbosa, primeiro ministro negro do STF (Supremo Tribunal Federal), tomou posse no dia 22 de novembro como presidente da Corte.
    A lotação, com 2 mil convidados que obrigaram o STF a instalar em diversas salas devido ao plenário ter apenas 300 lugares, é comum em posses de ministros do Supremo, mas Barbosa foi campeão de convidados ilustres do meio artístico.
Ma
rcaram presença o compositor Martinho da Vila, os atores Milton Gonçalves, Regina Casé, Lázaro Ramos e Taís Araújo e o cantor Djavan, entre outros, assim como o piloto Nelson Piquet, tricampeão da F-1.
    A cerimônia, aberta por Hamilton de Hollanda solando o Hino Nacional brasileiro no bandolim, também teve a presidente da República, Dilma Rousseff, os das casas legislativas, parlamentares, juristas e amigos estrangeiros, por cuja presença o presidente do STF agradeceu e sua mãe, Benedita Gomes da Silva.
Discursos
    Joaquim Barbosa ressaltou, em seu discurso, que "é preciso reforçar a independência do juiz. Afastá-lo desde cedo das más influências". Afirmou ainda que há "déficit de Justiça" e "nem todos os cidadãos são tratados com a mesma consideração quando buscam a Justiça".
Amigo antigo de Barbosa, o ministro Luiz Fux ressaltou a independência do colega de STF. "Nós, os juízes, não tememos nada nem a ninguém".



Cariocas Ganham o Primeiro
Corredor de BRT, da Zona Oeste
O BRT TransOeste, diminuiu pela metade do tempo de viagem entre Santa Cruz e o Terminal Alvorada Barra da Tijuca  

Foto de Ônibus biarticulado, modelo usado no Rio
 BRT  TransOeste,  novo sistema de ônibus articulados com  paradas em estações com  plataformas semelhante aos trens,  esse  tipo de sistema que  começou  a  operar no Município do Rio vem sendo desenvolvido  em  várias partes do mundo, já  utilizado no Brasil em São Paulo  e  Curitiba.
   O  BRT Carioca nestas semanas de adaptação vem causando grandes transtornos para os usuários que utilizam o expresso, para  os ciclistas e pedestres que cruzam a pista sem atenção devida. 

   A Secretaria Municipal de Transportes autorizou a ampliação do horário de  peração do BRT  TransOeste, implantação  de  novos  veículos  para atender  na  demanda  e colocação de novas sinalizações. Com  isso, o  corredor   de  ônibus articulado passará  a  atender  a população, das  9h  às 19h.  
  Outra novidade é a inauguração de novas estações que serão liberadas em etapas ao longo das próximas semanas.
  O TransOeste é o primeiro entre os quatro corredores de ônibus que o Rio de Janeiro elegeu como obra  principal de mobilida de urbana. 
   Já estão abertas vagas para operadores do BRT, os mesmos irão desempenhar suas funções nas estações de imbarque, nas catracas e em outras funções.
  Uma outra novidade esta em faze de estudos ampliar as linhas de BRTs até a Baixada Fluminense pela Via Dutra, o Governo do Estado criou uma comissão técnica para elaborar e avaliar todo o projeto.
  O BRT da TransOeste vem causando muitos acidentes desde de sua inauguração, são vítimas de atropelamentos, colisões com veículos menores, problemas com ciclistas, etc. 

Anúncio:
PRECISA DE INTERNET BANDA LARGA?
ENTÃO CONTRATE AGORA




    Distrito Industrial de Queimados
       Alvo de Grandes Empresas  
Distrito Industrial de Queimados na Baixada Fluminense tem crescimento
record nos últimos 4 anos


Forto Aeria de parte do Distrito Indústrial de Queimados / RJ
   Nos  últimos  quatro  anos a cidade de Queimados,  na Baixada  Fluminense,  vem sendo um bom atrativo para  várias   empresas.  Uma das indústrias  badaladas por  construtoras, por exemplo, é a Multibloco,  que já  forneceu  blocos de cimento para o Maracanã,  o Engenhão  e  até  para um hotel  em   construção  na  Via   Dutra.
  Em 2012, 31 novas  indústrias foram  instaladas  no Distrito Industrial  de  Queimados,  gerando mais  de 10 mil empregos diretos e indiretos. Desde a  aprovação  da  Lei  de redução de  IMCS   de 19  para  2%, o Distrito Industrial de Queimados passou de 7 para 13  indústrias. Um  projeto de ampliação  do  Distrito  Industrial, que   dobrará  sua  área, passando para cerca de seis  milhões  de   metros   quadrados, já  está em  andamento,  bem  como  a  instalação de um heliporto. Sabe como a gente desenvolve a cidade?
Trazendo  empresas  que  precisam  de   incentivo fiscal para  ficarem   competitivas. Redução do ICMS e isenção de impostos são alguns dos  atrativos para as empresas.
Mais uma vez, Queimados se destaca. 

Novo Caveirão do Bope na Área 
O Novo Maverick da empresa Paramount Sul Africana está sendo
testado pela Polícia do RJ

Foto do Maverick da Empresa Paramount Sul Africana
  Após  inúmeras análises e testes, o veículo blindado favorito dos policiais do Bope conhecidos por Caveirões, serão substituídos pelo Maverick, da  empresa Sul-Africana  Paramount. Com pelo menos 10   unidades adquiridas pelo governo do Rio Janeiro, o blindado da Paramount resistirá á  disparos de metralhadoras e fuzis  7.62 mm,  além  de  explosões de granadas  e  bombas. O blindado sul-africano  de  300  cv  receberá  pintura preta e emblema da caveira  para  combater o  tráfico  no Rio de Janeiro. O  veículo  ganhará agora uma nova  geração  mais  compacta  e ágil.


Cless Cosméticos Em Queimados 
A  companhia de cosméticos paulistana vai ocupar um terreno de 91mil m² 


Placa de lançamento da pedra fundamental da construção da Cless Cosméticos
  Mais uma vez, Queimados se destaca  no cenário desenvolvimento econômico e industrial da Baixada Fluminense. 
   A Cless Cosméticos é uma empresa voltada para linha de produtos de beleza e de higiene pessoal feminina. 
   A construção da  unidade Queimados será no Bairro Santa Rosa.Dentro de 40 dias começa a  movimentação pesada da Cless. A companhia de cosméticos paulista vai ocupar um terreno de 91mil m²  para construção de uma unidade fabricante e um parque logístico para distribuição de produtos. 
  A Cless Cosméticos será a 32ª empresa a se instalar no município desde o ressurgimento do Distrito Industrial. O investimento,  será de R$30 milhões podendo chegar até R$ 90 milhões. Com a construção da fábrica, a expectativa é que cerca de 700 empregos diretos e indiretos sejam gerados após a conclusão das obras. A cerimônia de lançamento da  pedra  fundamental  contou com a presença do presidente da empresa, Luiz Piccoli e o Prefeito de Queimados.    


Coordenadoria de Vigilância 
Epidemiológica em Queimados
 A  unidade possui uma sala de vacinação, testes rápidos, etc

Ismael Lopes; Secretário de Saúde do Município de Queimados / RJ
   A  Secretaria Municipal de Saúde de Queimados passou a atender a população 
com a unidade da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica que esta concentrando programas de saúde como antitabagismo, tuberculose, hanseníase, Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), AIDS  e  Saúde  da  Mulher. 
    A nova  instalação  terá uma sala de vacinação testes rápidos para  diagnosticar  o vírus HIV. Encontros de fumantes que desejam  largar o cigarro, entre outros serviços de saúde. O prédio fica na Av: Irmãos Guinle, n°673  Centro, Queimados, RJ.

Fonte:  Prefeitura  de  Queimados.



Anúncio:


SERVIÇO DE PUBLICIDADE É
NA NOVA RDESIGN

             Tel.: (21) 2665-2261 / 7865-1491 / ID: 10*20409